terça-feira, 10 de junho de 2008

Fatias do Mesmo Queijo

8 Comentários:

Blogger Andressa disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

10 de junho de 2008 14:03  
Blogger Andressa disse...

Sem falsa modéstia, mas minha crítica está muitooo boa.
:)

10 de junho de 2008 14:05  
Blogger mayra disse...

Muito boa Andressa! Crítica bem estruturada e com uma extensa pesquisa. Contudo, senti falta daquele "a mais" que te faz ter vontade de continuar lendo ou se empolgar com o texto.

10 de junho de 2008 14:28  
Blogger Andressa disse...

Vendo os outros perfis. Lamentei por não ter colocado fotos e hiperlinks. O primeiro parágra tb poderia ser um pouco mais sedutor. Achei meu título mto criativo tb.

10 de junho de 2008 15:16  
Blogger Alto-falante disse...

Andressa, não entendi direito do que se trata o filme, se tem alguma idéia central que une essas frações e tal...só dá pra saber que são 5 histórias...

Como vc mesmo disse, acho q o primeiro parágrafo poderia ser mais sedutor, como foi seu título!

11 de junho de 2008 08:31  
Blogger Alto-falante disse...

E como a maioria das críticas, estou sentindo falta de argumentos sobre a qualidade técninca e outros elementos cinematográficos que não sejam a narrativa...

11 de junho de 2008 08:33  
Blogger Andressa disse...

Eu não coloquei muitas palavras relacionadas a linguagem cinematográfica pq eu acho mto pretensioso. Jornalista tem q saber escrever tanto pra um público seleto qto pra pessoas q não sabem dessa linguagem mais específica. fica parecendo coisa jornalista pseud0-cineasta. tb não quis contar muito da história do filme pra não tirar a curiosidade pela história do filme. Discordo que meu texto não esteja claro.

11 de junho de 2008 09:43  
Blogger Alto-falante disse...

Em momento algum eu falei que seu texto não está claro. Falei apenas que achava importante ter mais informação sobre a narrativa já que é ela que faz, a primeira vista, fazer com que o espectador se interesse ou não em ir ao cinema.

Quanto aos elementos cinematográficos, não falei pra vc usar linguagem rebuscada, concordo com vc quando fala que o jornalistab deve usar uma linguagem universal. Você não entendeu o que eu disse. Eu falei que estava faltando na sua crítica você se referir a outros pontos do filme que não fosse a história. Como a fotografia, o estilo de filmagem e tal. O Marco Túlio fez isso sem precisar usar linguagem rebuscada.

13 de junho de 2008 03:43  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial